5.30.2007

A love supreme



“The first records in Coltrane’s career as a leader were the work of a man who had submerged himself in heroin and alcohol and who had mortgaged his physical health as a result. If, as superstition and a measure of biological science suggest, people are transformed every seven years, then Coltrane is something like proof positive. Few spiritual break-thoughts have been so hard won, but he had also reinvented himself technically in that time, creating a body of music in which simplicity of materials generates an almost absurd complexity of harmonic and expressive detail. This is quintessentially true of ‘A Love Supreme’. Its foundations seem almost childishly slight, and yet what one hears is a majestic outpouring of sound, couched in a language that is often brutally violent, replete with split quotes, multiphonics and toneless breath noises”. THE PENGUIN GUIDE TO JAZZ
Enfim... nao há muito o que falar desse disco. Obra prima e genial - obra prima e genial mesmo; tais adjetivos andam muito banalizados, tudo é obra prima e genial, mas aqui é pra valer!

John Coltrane - Sax Tenor
Elvin Jones - Bateria
Jimmy Garrison - Baixo
McCoy Tyner - Piano

John Coltrane - A Love Supreme

7 comments:

Nhonhão Paranah said...

Putz, falar o quê? É meio por aí mesmo, folk!

woody said...

É dificil entrar aqui e encontrar algo que me interessa e que eu já não tenha. Isso é que dá ser rato de sebo. Este disco é um deles, por outro lado, tb é difícil ver um obra prima desta e não deixar um comentário. Que do cassete este play!! Tão bom, que a música tema foi regravada no encontro Santana e Mahavishnu, em homenagem a este monstro sagrado do jazz que é John Coltrane.

P.K. said...

grande disco...de fato.

Libra Nogueira said...

Belê, Woody, não é mesmo fácil satisfazer um freguês assim tão exigente. Santana e Mahavishnu num tema de John Coltrane me parece que é realmente superior, nunca nem tinha ouvido falar. Mahavishnu e Santana, é? Puuuxa! É, monstro sagrado, é, pois é, monstro sagrado... Monstro sagrado... Caramba! Monstro sagrado, sô! Arreda, Papa Satã! Valei-me, Padim Ciço! Mircea Eliade, rogai por nós!

@ny.-. said...

Reza braba

woody said...

Ô Nogueira, calma que o leão é manso, sô!
Então vc não conhece o disco do Santana e Mahavishnu! Pois ele é bem manjado, se chama: John McLaughlin & Carlos Santana - Love Devotion Surrender, lançamento da Columbia 1973 (hoje Sony), e a banda ainda conta com Billy Cobham e Jan Hammer. O disco abre justamente como a Love Supreme, do Coltrane. Eu postei no meu blogo o bootleg com os outtakes deste disco, pega lá. Mas te aconselho a ouvir o disco ofical primeiro (ou depois, como queira). Não deve ser difícil de achar aí nos blogs da vida, ou mesmo nas lojas e sebos. É um discasso!
Vai nessa Nogueira, tá fazendo o que aí parado, rapá!!!

Anonymous said...

Si, probablemente lo sea